Vizinhar com Chakall do El Bulo Social Club

Vizinhar com Chakall do El Bulo Social Club

Há 20 anos Marvila piscou-lhe o olho!

Chegámos ao número 9 da Praça David Leandro da Silva antes da hora de almoço. Tocámos à campainha  e abriu-se o portão, enorme. Lá estava ele sentado a uma mesa em reunião com um novo cozinheiro. Pediu para esperarmos um pouco. Encantados com o espaço os flashes da máquina surgiram com naturalidade. O sagrado e o profano convivem harmoniosamente por entre um mural com motivos sul americanos que ocupa a parede frontal inteira, um comprido balcão e uma horta vertical que ladeiam as mesas já postas para os clientes do meio-dia. Chakall conhecido como o cozinheiro do turbante diz que o usa desde que viveu em África e é sobretudo por uma questão de higiene. Considera-se um visionário, chegou a Marvila antes dos outros, mas para ele “há espaço para todos, quantos mais vierem melhor, não há concorrência, são conceitos diferentes que se complementam”.

Orientre Restauranta Chakall El Bulo Social Club Marvila

Do jornalista ao cozinheiro do Turbante

Nasceu a 5 de junho de 1972 em Tigre, nos subúrbios de Buenos Aires, na Argentina, numa família de cozinheiros e donos de restaurantes, desde há quatro gerações. Formou-se em jornalismo, trabalhou durante sete anos para um jornal na Argentina e para a revista Rolling Stone dos Estados Unidos como correspondente. Quando chegou a Portugal a música era outra e não sabia português: “ainda hoje escrevo mal”, admite, e a única outra coisa que sabia fazer  bem era cozinhar: “E então fui para uma cozinha, sem pretensão nenhuma e correu bem. Comecei a fazer show cooking, eventos ao vivo, depois entrei num programa de televisão, e noutro, foi uma evolução.”

Vive em Portugal desde 1997: “Vivo e não vivo porque estou aqui e não estou, estive em África dois anos, vivo entre Portugal, Alemanha, China e América Latina onde tenho programas de televisão em 4 idiomas diferentes  (inglês, alemão, português e espanhol). O meu pai era ator e a minha mãe cozinheira por isso fui juntando o útil e o agradável, cresci entre teatros e cozinhas.” Apesar de não ter nenhuma formação teórica em cozinha, admite: “Tenho a melhor formação, a minha mãe é chefe de cozinha e é sem dúvida mais exigente do que qualquer professor de uma escola técnica”.

Orientre Restauranta Chakall El Bulo Social Club Marvila

El Bulo Social Club em Marvila

Curioso enquanto cozinheiro e jornalista está sempre à procura de fazer coisas novas e diferentes: “Vou abraçando projetos que me interessam ou vou criando os meus próprios projetos” .

Em Portugal sempre foi muito bem recebido pelas pessoas. A sua primeira casa foi no Bairro Lopes, perto do Beato,  e sempre que passava por Marvila ficava espantado “wow”, conta. “Um dia havia um evento aqui, um mercado, e eu fiquei maravilhado, e disse para mim mesmo:  um dia que tenha um restaurante próprio vai ser aqui, e assim foi.” Sempre considerou  que esta seria a melhor zona de Lisboa, “tem todo o potencial para ser uma zona de cultura e lazer. Questionava-me muitas vezes porque é que nunca acontecia nada aqui, anos e anos e isto sempre morto.”

Orientre Restauranta Chakall El Bulo Social Club Marvila

Esperou 17 anos para conseguir o seu espaço, quando o encontrou era o armazém mais devoluto da zona, mais mal tratado. Com mais de 700 metros quadrados e um enorme pé direito, foi aí que nasceu o El Bulo, como restaurante, bar, espaço de concertos e até loja. O Social Club tem o seu cunho pessoal, a música, as viagens, África e América Latina respiram-se a cada passo.

Orientre Restauranta Chakall El Bulo Social Club Marvila

A ideia original era juntar a empresa de catering que tinha na Lourinhã e ter um restaurante pequenino, mais intimista. “Mas isto acabou por me absorver por completo. No futuro vou fechar ao meio dia e servir só jantares porque não tenho tempo.” Interrompe a entrevista, chegou um fornecedor e precisa de fazer um pedido: “preciso de bacalhau (…)”. Retomámos a conversa. El Bulo significa lar, casa, na Argentina, uma casa privada, “mi casa es tu casa” relacionado com a proximidade que queria dar ao espaço. Mas o cozinheiro gosta de mudar, de inovar, aborrece-lhe a monotonia e já está a pensar em projetos novos: “quero apostar mais no Social Club e ter mais bandas ao vivo e em breve vão haver mais novidades.”

Ficamos aguardar pelos novos projetos!

 

One Response
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *